quinta-feira, 4 de março de 2010

Calcificações

Calcificação é o processo de deposição de sais de cálcio no tecido que ocorre de forma normal, por exemplo na formação dos ossos e cartilagens, mas a entrada do cálcio numa célula já em processo de degeneração acaba por conferir morte à mesma. O cálcio acumula-se nas mitocôndrias inibindo a fosforilação oxidativa e ativando fosfolipases endógenas. O nível de cálcio normal em uma pessoa é de 8-10mg/100ml. A calcificação patológica é a deposição anormal de sais de cálcio, juntamente com pequenas quantidades de ferro, magnésio e outros sais. É um processo comum em várias condições patológicas. Existem duas formas de calcificação patológica. Quando a deposição é local, em tecidos que estão morrendo, é chamada de calcificação distrófica; ela ocorre apesar de os níveis de cálcio serem normais e também na ausência de alterações no metabolismo do cálcio. A deposição de cálcio em tecidos normais é tida como calcificação metastática e quase sempre resulta da hipercalcemia secundária a algum distúrbio no metabolismo do cálcio.


A calcificação distrófica é encontrada em áreas de necrose. Independente do local da deposição, microscopicamente os sais de cálcio se apresentam como grânulos finos ou nódulos brancos, que geralmente dão a sensação de depósitos arenosos. Já a calcificação metastática pode ocorrer em tecidos normais sempre que houver hipercalcemia. Existem algumas causas da hipercalcemia:
  • Aumento da secreção do hormônio da paratireóide
  • A destruição do tecido ósseo
  • Desordens relacionadas à vitamina D
  • Insuficiência renal
A calcificação metastática pode ocorrer em todo o corpo , mas afeta principalmente os tecidos intersticiais da mucosa gástrica, rins, pulmões, artérias sistêmicas e veias pulmonares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário